fbpx

Publicado em: 4 de novembro de 2021


Novembro Azul: Cuidados em relação ao câncer de próstata

O movimento “Novembro Azul” surgiu, em 2003, na Austrália, com o objetivo de chamar atenção e divulgar informações sobre a prevenção e o diagnóstico precoce de doenças que atingem a população masculina, tal como o câncer de próstata.

Sendo assim, anualmente, no mês de novembro, acontece a campanha que acabou se tornando um movimento global de conscientização em prol da saúde do homem. Órgãos públicos e privados divulgam dados e informações para que as pessoas possam entender mais acerca da doença, buscando promover uma mudança de paradigmas e também incentivar conversas e a procura por profissionais de saúde.

O câncer de próstata é o segundo tipo de câncer mais comum entre homens, ficando apenas atrás do câncer de pele não melanoma. Segundo dados do INCA, estima-se que entre 2020 e 2022, no Brasil,  65.840 homens por ano serão acometidos por esta patologia.  E em 2019, o número de mortes chegou a 15.983. Cerca de 28,6% da população masculina morre em decorrência do desenvolvimento de neoplasias malignas.

Você também pode gostar de ler sobre:

O câncer de próstata é uma doença que por diversas vezes acaba sendo assintomática nas fases iniciais, ou seja, não oferece nenhum sintoma, o que acaba tornando a prevenção muito importante. E justamente por apresentar sinais e sintomas quase tão imperceptíveis, que os exames e preventivos se mostram tão importantes.

As medidas preventivas fazem parte de estratégias, em casos de grande probabilidade de incidência, de encontrar um tumor numa fase inicial — o que aumenta as chances de cura para mais de 90%. Quando alguns sintomas começam a aparecer, é sinal de que os tumores já se encontram em fase avançada, dificultando o processo de cura. No estágio avançado da doença, os sintomas do câncer de próstata em homens podem incluir:

  • Dor óssea;
  • Dores ao urinar;
  • Vontade de urinar com frequência;
  • Presença de sangue na urina ou no sêmen.

Quais são os fatores de risco para o câncer de próstata?

  • A idade é um fator de risco, já que mais do que qualquer outro tipo, este câncer é considerado como uma doença da terceira idade. Cerca de 75% dos casos no mundo ocorrem em pacientes com mais de 65 anos;
  • Também temos os riscos aumentados quando se tem histórico familiar (pai, irmão ou tio) com câncer de próstata;
  • Excesso de gordura corporal e/ou exposição frequente a reagentes químicos;
  • E homens negros/pretos também sofrem com maior incidência deste tipo de câncer.

A importância da prevenção do câncer de próstata

Em vista disso, a única forma garantir a cura para esta condição é através do diagnóstico precoce. Mesmo na ausência de sintomas, é recomendado a ida de homens de 45 anos, com fatores de risco, ao urologista para falar sobre a possibilidade de realização do exame de toque retal e o exame PSA (antígeno prostático específico). Já os que não se enquadram dentro de tais fatores, a indicação é a partir dos 50 anos.

Vale dizer que cerca de 20% de homens com câncer de próstata são diagnosticados unicamente através da alteração no toque retal. É possível que outros exames também sejam solicitados pelo médico se houver qualquer suspeita de câncer de próstata, como biópsias, que realizam a retirada de pedaços da próstata para análise, guiadas pelo ultrassom transretal.

Nos casos de um diagnóstico positivo, a melhor forma de tratamento irá depender de alguns aspectos, como o estado de saúde atual, expectativa de vida e o estadiamento da doença. E quando houver a existência de tumores de menor agressividade, existe a opção da vigilância ativa, na qual é feito um monitoramento periódico da evolução da doença e interferência em caso de progressão da mesma.

Preconceito – o grande inimigo do homem

Mas apesar da importância, os exames ainda são um grande tabu entre a população masculina. Pesquisas apontam que grande parte dos homens acima dos 45 anos, sequer reivindicou qualquer tipo de método de prevenção. Alguns indivíduos afirmam que este é um cuidado pouco másculo, outros acreditam — erroneamente — que o toque retal não é realmente necessário para detecção precoce do câncer. Ou seja, o preconceito ainda é o maior inimigo do homem neste caso.

E quais são os tipos de trabalho com maior exposição ao câncer?

Pois bem, de acordo com o INCA (Instituto Nacional do Câncer), algumas atividades e ocupações econômicas, compostas majoritariamente por homens, são mais propensas a terem um contato maior com substâncias cancerígenas. São elas:

  • Fundição de metais não ferrosos;
  • Tratamento de madeira;
  • Indústria de eletrônicos;
  • Fabricação de vidros;
  • Produção e aplicação de agrotóxicos arsenicais: herbicidas arsenicais orgânicos, inseticidas arsenicais orgânicos, dessecantes e desfolhantes arsenicais orgânicos, esterilizantes de solo arsenicais orgânicos e fungicida arsenical inorgânico para tratamento de madeira;
  • Produção e aplicação do inseticida malation;
  • Produção e re­no de cádmio;
  • Produção de baterias, pilhas elétricas e pigmentos de cádmio;
  • Produção de materiais à base de PVC: tubulações, canos, batentes de portas e janelas, mangueiras de irrigação, peças automotivas, por exemplo;
  • Indústria de semicondutores e de eletrodos;
  • Radiologia, usinas nucleares;
  • Mineração subterrânea;
  • Produção de borracha;
  • Atividades noturnas.

Principais cancerígenos no trabalho:

  • Arsênio e seus compostos arsenicais;
  • Malation (agrotóxico inseticida);
  • Cádmio e seus compostos;
  • Radiação ionizante (x e gama);
  • Elemento radioativo (tório 232);
  • Trabalho noturno.

Tais casos são evitáveis a partir da eliminação dos principais agentes cancerígenos nos processos e ambientes de trabalho.

E vale a pena ressaltar que o homem precisa sim cuidar da saúde em todos os sentidos, inclusive da saúde mental. Analisar se há algum sofrimento psíquico, até mesmo devido a dependência de substâncias químicas, para que a mesma seja tratada corretamente. Além disso, o profissional de saúde pode orientar sobre testes rápidos como sífilis, hepatite e HIV. Cuide da sua saúde!

Fonte: INCA/Ministério da Saúde

Compartilhe também:

Você pode gostar de ler também

Varíola dos macacos: o que sabemos até então

Varíola dos macacos: o que sabemos até então

Sobre a varíola dos macacos Descoberta pela primeira vez em 1958, a varíola dos macacos teve seu primeiro caso de infecção apenas na década de 70, em uma criança na República Democrática do Congo. Ain...

Como hidratar cada tipo de pele?

Como hidratar cada tipo de pele?

Pele ressecada no frio? Por que isso acontece? Com a chegada do frio, é comum que a pele fique mais ressecada que o normal e isso se dá por conta de alguns fatores que contribuem diretamente para com ...

x

Precisando da 2ª via do boleto?

Digite o CNPJ e retire a 2ª via de boleto

Campo de preenchimento obrigatório

Boletos vencidos podem ser pagos em qualquer banco.